Buscar
  • Caio Bruno

Era uma vez a Rádio Globo de São Paulo


Logotipo da Rádio Globo nos anos 1980 e 1990


Chegou ao fim à 0h do último dia 1º. de junho de forma quase secreta uma das emissoras de rádio mais tradicionais de São Paulo, a Globo. Fundada em 1952 pelo empresário Victor Costa com o nome de Nacional, a estação foi comprada por Roberto Marinho em 1965 e teve sua nomenclatura alterada em 1979 integrando-se de vez ao conglomerado carioca.


Localizada na Rua das Palmeiras, na Santa Cecília, a Globo São Paulo sempre se pautou pela programação popular com músicas, programas de auditório e esporte. Em seus 68 anos de existência passaram pelos microfones da Nacional-Globo astros como Manoel de Nóbrega, Hebe Camargo, Sílvio Santos, Osmar Santos, Eli Corrêa, Gilberto Barros e muitos outros.


Particularmente guardo lembranças vívidas dos 1.100khz AM, quando ouvia por tabela na casa de minha avó toda a programação matutina da emissora como os correios sentimentais e debates do comunicador Paulo Lopes, o histriônico boletim O Globo no Ar e o futebol no programa Globo Esportivo.


De acordo com comunicado oficial, o Grupo Globo anunciou o encerramento das operações da rádio paulista por “posicionamento de marca”. Vai focar sua atividade radiofônica somente no Rio de Janeiro, deixando em São Paulo apenas a CBN, uma espécie de filhote noticiosa da extinta Globo.


Nos últimos tempos, sua programação já estava longe dos tempos áureos em que liderava a audiência (era baseada em músicas e retransmitia atrações da coirmã carioca). Nem sua frequência clássica existia mais, desde fevereiro de 2020 operava nos 94.1 FM.


Com o fim da Globo São Paulo se vai mais um pouco da velha linguagem do rádio brasileiro, uma manifestação de hábitos e costumes de um país que se transforma. Vai ficar na saudade.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo